domingo, 29 de novembro de 2009

Segurança Embriagado

Ao contrário do segurança dançarino, este vídeo não foi filmado por mim. Mas podia ter sido. Por mim ou por qualquer pessoa que viva o dia a dia em Luanda com uma câmera na mão. Insólitos destes são diários, acreditem!




E depois há sempre um supervisor que aparece de folhas na mão a controlar o trabalho... Pergunto onde estaria ele, enquanto o outro se atestou de "Cucas".

7 comentários:

Sérgio disse...

Simplesmente brilhante..........

Anónimo disse...

Se são diários, não deviam ser insólitos...

Insólito - que não é habitual, incomum, raro...

Ricardo disse...

Agradeço o seu comentário. No entanto, é um ponto de vista com o qual tenho que discordar por completo.

Na definição de insólito que tão bem transcreveu do “wikcionário” não existe nenhuma imposição temporal. Logo, se numa hora, das vinte e quatro que o dia tem, acontecer algo de diferente e/ou raro, não deixará de caber nessa definição. Da mesma forma, se isto se repetir nos dias seguintes, também não deixará de ser diário. Assim, não me parece ilógico haver insólitos diários!

Além de que, o facto de hoje acontecer um facto raro e amanhã outro, não implica que o acontecimento tenha sido o mesmo! Mas ambos serão insólitos… Voilà! Lá voltamos nós a ter insólitos todos os dias, sei lá, diários talvez…

É bom não nos agarrarmos às definições de forma tão literal. Se for possível, pensar um pouco sobre elas pode ser útil também…

Anónimo disse...

Não deixa de ser engraçado o que escreveu no texto... e também não deixa de ter razão na resposta ao meu comentário. Por outro lado deve admitir a possível confusão e contradição naquilo que escreveu... à primeira vista, insólito é o que é raro acontecer, a ideia que o texto passa não é de quantidade (muitos episódios insólitos) mas sim de acontecerem regularmente (diários). De qualquer maneira a razão está do seu lado quando refere "Além de que, o facto de hoje acontecer um facto raro e amanhã outro, não implica que o acontecimento tenha sido o mesmo!", mas não se esqueça que também referiu, "insólitos destes" e aí dá ideia de serem acontecimentos parecidos no mínimo... Enfim, o interesse desta conversa/discussão é bastante relativo.. Aproveito para dizer que escreve bastante bem e gosto muito dos seus "recados".

Ricardo disse...

Obrigado pela discussão, ainda assim, o que é sempre interssante... Quanto à razão, nem sempre ela tem que pender por inteiro para um dos lados.

Mais uma vez obrigado pelo comentário e pela participação. Fico feliz por gostar dos "recados" e espero que volte sempre, com a sua crítica perspicaz. ;)

Anónimo disse...

Conheci este Ricardo em bébé e é para mim uma alegria constactar a grande capacidade que tem demonstrado de absorver e apreender com fino humor a realidade Angolana.È a primeira vez que comento, mas não perdi até agora um unico recado.
Mas relativamente a este insólito tenho de afirmar que este guarda é o contrário do Lopes, pois aquele é branco e diz que tem uma costela africana e este guarda é preto e tem de certeza uma costela de Tuga, pois como qualquer LUSITANO que se preze pega fácilmente numa marreta para resolver qualquer problema mecanico e este como não conseguia abrir a porta acabou por "deitar mão do que tinha mais ao pé".
Continua a divertir-te Ricardo divertindo-nos também a nós.

Tania disse...

Genial...

Enviar um comentário